Oxum, o orixá do amor

Por Pedro Jr.

Com certeza, você já sentiu e percebeu a força alinhada ao poder aconchegante do amor e o colo de mãe. Esta energia é de fácil percepção e característica do sagrado feminino.

pedro-iMitos nos contam que Oxum foi a filha preferida do pai maior Oxalá, trazida ao nosso mundo da união com Iemanjá, tem isso em sua essência.

É a rainha dos rios e cachoeiras, mamãe Oxum. Mesmo pelo fato de habitar águas frias, seu calor é ímpar e tem total domínio em questões como o amor, a beleza, a fraternidade e a maternidade. Nascida na Nigéria, recebeu sua alcunha em homenagem a um rio próximo de onde teve sua estreia: Osun, com duas grafias em Ijexá Oxogbo ou Osogbo.

pedro-iiPossui a doce contradição de ser adorada pelos orixás masculinos, personagem importante na vida de Oxossi, Ogum e Xangô, e desencantada pelos orixás femininos, como registra os mitos afroreligiosos que impregnaram a nossa cultura para explicar a essência matriarcal desta deusa africana cujo encanto e formosura presenteiam a humanidade com o amor universal.

pedro-iiiA deusa das águas frias tem sua representação, segundo o sincretismo, em diversas faces bem familiares aos seres desavisados. Oxum é a representação de Nossa Senhora Aparecida, das Cabeças, da Conceição, de Lourdes, de Fátima, de Nazaré, das Candeias e dos Prazeres. Com grande afinidade às cores azul e o amarelo, tem como sua data 8 de dezembro, segundo a tradição do candomblé. Sempre cativada pelo ouro, jóias, lírios, rosas, perfumes e espelho que são complementos de sua beleza e graciosidade.

pedro-ivA riqueza espiritual e material dos filhos de Oxum, possuidores de ladainhas de fácil assimilação, é elucidada por este orixá, além dos sentimentos nobres como a união, a fraternidade e o amor que é compreendido de maneira transcendental: metafísica afrodescendente.

pedro-v

Oxum é, historicamente, solicitada por receber os trabalhos nos ciclos anuais que se findam, vibrando para a clareza de caminhos para o ano que se aproxima. E aqui encerramos nossos trabalhos saudando “Ora yê yê mamãe Oxum”.

pedro-vi

Pedro Jr. é colaborador da Revista Escrita Pulsante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s