Exílio

Por Camila Morotti

exilio_1Desprendi meus pés do chão em forma de lágrimas. Não houvesse outra forma de refletir a infinitude da dor ou do prazer alheio em deter-me: da dor ou do sabor de uma loucura ainda imaginária para mim. Houvesse sabor maior de existir o inexistível sabor de ser um número: 211-B. Medicamentos: 22. Ao dia. Por dia. 48 (infinitos) dias. Meus dias. Nossos dias. Afiados dias. Dilaceraram meu coração. Alicerçaram meu punhal em obras. Eternidades. Discreta eternidade. Sombria solidão. 28 internas. Interesse. Mistério. Penumbras perplexas. Nasce hora. Morre dia. Concretizar melodias. Medrosas, melodias. Honrar a chance. Morrer a chance. Viver. Morrer. Um pouco, todo dia. Já é o vigésimo quarto dia. Olho pra parede. É verde. É água. Sem gosto. Tem arroto. Vem do Posto I. A Gaiola das Doidas. Dividimos parede com elas. Eu e Dona Odith. Atende por Odete.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s